Publicada em: 10/05/2019 17:04

Projetos de Turismo no AM foram destaques na 4ª edição do Prêmio Maria Helena Fonsêca

"Antes, Manaus importava profissionais da área hoteleira, dos meios de hospedagem, principalmente pros cargos de chefia. Hoje é o inverso, nós temos vários alunos nossos que foram para fora em cargo de gerencia em hotéis em outras capitais". O destaque é da Profa. Esp. Maria Helena Fonsêca durante a solenidade de premiação da 4ª edição do Prêmio que leva o seu nome. O evento premiou os três primeiros colocados em duas categorias: categoria A, voltados para Ideias e Soluções para Empresas na Área de Turismo, destinos ou atrativos turísticos; e na Na Categoria B, direcionada ao Trabalho de Conclusão de Curso ou Pesquisa de Iniciação Científica.

O evento foi realizado na noite de quinta-feira (9) na Escola Superior de Artes e Turismo da Universidade do Estado do Amazonas (ESAT/UEA), localizada na Avenida Leonardo Malcher, n. 1728, Centro.

Com o intuito de valorizar as melhores propostas, a iniciativa foi criada em 2016 por membros do Laboratório do Curso de Turismo da Universidade do Estado do Amazonas (Labotur/UEA) para propor a aproximação de alunos e egressos dos cursos de turismo às empresas e ideias pautadas pelo aperfeiçoamento de suas habilidades técnicas e pessoais que possam auxiliar no desenvolvimento do segmento turístico no Estado.

Premiados
Jackeline Lopes, vencedora da categoria A e aluna do curso de Turismo da UEA, utilizou a sua vivência como estagiária no Museu da Cidade de Manaus para desenvolver seu projeto 'Visita sensorial inclusiva para deficientes visuais no museu cidade de Manaus' . "Percebi que a visitação de turistas com deficiência visual tem pouca demanda. O museu é acessível, há muitos equipamentos, os funcionários são treinados, mas não há divulgação, e eu quis mostrar isso no meu projeto, uma maneira de eles visitarem o museu de forma independente, que mesmo com os funcionários preparados, eles tenham a possibilidade de se locomover sozinhos, através de áudios ou do piso tátil que tem no museu", disse.

A proposta da aluna é de que no final da visitação os turistas se juntariam, fariam uma roda de conversa e contariam histórias sobre o passe, para auxiliá-los a ter uma realidade mais tangível, utilizando miniaturas de lugares, livros em braile e figuras em relevo.

Iara Farias, vencedora categoria B e egressa do curso de Turismo da UEA, desenvolveu sua pesquisa sobre identidade cultural Amazonense nas escolas no meio do curso. "Uma professora falava muito sobre, e eu comecei a me identificar com o assunto, e foi assim que eu me dediquei de vez. Eu perguntei a ela se aceitaria ser minha orientadora, disse a ela o que me incomodava, assim surgiu meu tema. O projeto foi desenvolvido entre 2017 e 2018. Com toda pesquisa de campo tive dificuldade, porque na época houve a greve dos professores, mas mesmo assim eu fui até as escolas e falei com os professores e alunos, foi aí que senti de perto a necessidade que eles tinham em ter esse contato com a cultura amazonense", afirmou a pesquisadora.

Homenagens
A premiação homenageou Helen Coutinho, professora da UEA e doutoranda em Turismo e Hotelaria pela Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), por sua contribuição acadêmica e profissional para o turismo amazonense, além de ter promovido uma sessão de autógrafos com o professor e pesquisador em artes Otoni Mesquita, que lançou a 4ª edição de seu livro 'Manaus: História e Arquitetura (1699-1915)'.

O evento finalizou com a apresentação do Coral Tubones da UEA e contou com a parceria da Associação Brasileira de Agências de Viagens (ABAV/AM), Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH/AM), Federação do Comércio de Bens, Serviços, Turismo (Fecomércio/AM), apoio e parceria da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult); Lírio Viagens e Turismo, Skall, Local Hostel, vereadora professora Jaqueline, Manaus Hotéis, Loppiano Pizzaria, Amazon Explorer e ainda a Empresa Estadual de Turismo (Amazonastur).

Texto: Iris Brasil/ASCOM UEA

ITENS ASSOCIADOS