Publicada em: 22/10/2019 15:54

UEA sedia oficina para criação do Polo da Rota da Biodiversidade no Amazonas

Nos dias 4 e 5 de novembro, a Escola Superior de Tecnologia da Universidade do Estado do Amazonas (EST/UEA) será palco das discussões da 'Oficina de Planejamento Estratégico: Polo Manaus - Amazônia', que visa a criação de um Polo da Rota da Biodiversidade no Amazonas. O Polo terá representantes de instituições públicas, privadas, empresas e produtores regionais.

A Rota da Biodiversidade é um Projeto de ação estratégica com o objetivo de potencializar o setor produtivo na área da biodiversidade, criando redes de arranjos produtivos e desenvolvendo a inclusão produtiva local. "Nós fomos até Brasília procurar o Ministério de Desenvolvimento Regional (MDR) para apresentar uma proposta onde a UEA possa abrigar e coordenar o evento para discutir os rumos da integração econômica especialmente no interior do Amazonas. Essa oficina que será realizada visa definir temas prioritários para constituir as rotas e criar um comitê de gestão", explicou a Pró-Reitora de Planejamento, Maria Olívia Simão.

Durante a oficina serão discutidos pontos como o nome e a missão do Polo, a abrangência territorial, a criação de uma carteira de projetos e do comitê, com o propósito de incrementar a cadeia produtiva de fitomedicamentos e promover o desenvolvimento regional.

O evento é uma realização da UEA, com o MDR, o Ministério do Meio Ambiente (MMA), a Universidade Federal do Amazonas (Ufam), a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Seplancti), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Redes Fito, Banco da Amazônia, Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam).

Sobre a Rota da Biodiversidade

O Projeto Rota da Biodiversidade integra as Rotas de Integração Nacional e tem como estratégia a constituição de polos (clusters) para diagnóstico preciso e implementação das iniciativas de desenvolvimento setorial e territorial requeridas, desde a organização da base de insumos, passando pela transformação industrial, estratégias de comercialização e serviços, marco legal e infraestrutura. Os polos são aglomerações territoriais de cadeias produtivas estratégicas, dotadas de expressiva produção regional, comitê gestor ativo, planejamento estratégico, abrangência territorial definida, visão de futuro e carteira de projetos.

O Polo é formalizado por meio de oficinas de planejamento estratégico, onde os atores regionais - comunidades tradicionais, produtores, empresários, lideranças, órgãos de fomento - se reúnem para definir uma carteira de projetos, que identifica as intervenções necessárias à estruturação cadeia produtiva no território, e um comitê gestor responsável pela mobilização e implementação das ações previstas.

Mais informações podem ser obtidas por meio do email rota.biodiversidade@mdr.gov.br

Texto: Emilie Guimarães/ASCOM UEA

ITENS ASSOCIADOS