Publicada em: 30/11/2020 10:12

Professores de engenharia da UEA recebem capacitação da Academia STEM

Os professores do curso de engenharia na área de metodologias ativas da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) receberam uma capacitação do projeto da academia STEM, termo em inglês para agrupar as disciplinas de Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (Science, Technology, Engeneering and Mathmatics).

O STEM é um projeto de capacitação e formação profissional que tem por objetivo oferecer ações, atividades, cursos e programas visando à utilização de metodologias de aprendizagem que potencializem a formação de excelência de engenheiros aptos a atender as demandas existentes nas empresas que fazem parte do Polo Industrial de Manaus (PIM) e protagonizar a implementação de novos negócios.

Entre as ações que o projeto visa contemplar a adoção de metodologia de aprendizagem que potencialize a disseminação de conhecimento compatível às demandas existentes nas empresas que compõem o polo industrial; aumentar a atratividade dos cursos STEM pelos alunos de ensino médio; e melhorar a qualificação dos profissionais do mercado de trabalho e empreendedores.

O projeto tem três pilares que são: Atração, Permanência e Excelência. O Pilar Atração é destinado aos alunos de ensino médio; o Pilar Permanência é ofertado a alunos e professores de graduação das Engenharias; e o Pilar excelência destina-se ao mercado de trabalho com profissionais da área STEM.

O Pilar Permanência, coordenado pelo professor da Escola Superior de Tecnologia, Francis Wagner, tende a possibilitar a criação de um ambiente que potencialize a diminuição da taxa de evasão dos estudantes, aumentar o percentual de alunos diplomados dentro do período estimado para cada curso, e reduzir divergências entre os conhecimentos ofertados pela universidade e o demandado pelas empresas do polo industrial.

A professora da Escola Normal Superior (ENS/UEA), Nataliana Paiva, está integrada no STEM como pedagoga e aponta que quando se trabalha na capacitação do professor, trabalha-se também, na capacitação dos alunos. "Quando os professores de engenharia do ciclo básico param pra pensar sobre a sua prática enquanto professor, penso que realmente estamos preocupados em atender melhor nossos alunos e também formar um perfil de egresso quer possa se inserir no mercado de trabalho na nossa cidade e em qualquer lugar da cidade também".

O professor convidado para o encerramento do workshop e Dr. Em Engenharia dos Materiais pela Universidade de São Paulo (USP), Gil Guimarães, conta que neste último workshop de dois meses de ciclo foi proposto aos professores da UEA a reflexão às disciplinas que ministram para que pensem no curso de forma coletiva. Para isso, Gil destaca que é necessário fazer o alinhamento entre essas disciplinas e as atividades que seriam realizadas através de um projeto integrador.

"A geração atual é intermediada pela tecnologia, então é importante que dentro dos cursos ela também se faça presente e seja utilizada da maneira mais natural possível, para inserir a realidade dos alunos na Universidade. A UEA está num caminho que vai colocá-la numa posição nacional de destaque, visto que esse tipo de formação com esses pontos de vistas é importantíssima, e todas as universidades de grande destaque estão correndo atrás disso, então acho que a UEA está no caminho certo", conclui.

Texto: Guilherme Oliveira / ASCOM UEA

ITENS ASSOCIADOS