Publicada em: 15/09/2021 16:28

Projeto de extensão da UEA discute o aperfeiçoamento do ensino em escolas ribeirinhas

Desenvolvido no Núcleo de Ensino Superior de Humaitá da Universidade do Estado do Amazonas (NESHUM/UEA), o projeto de extensão 'Uma proposta alternativa para o Ensino de Ciências Naturais e Matemática em escolas ribeirinhas do Sul do Amazonas' oferece formação permanente e discute diferentes caminhos de aprendizagem na região. O ensino proposto pelo projeto acontece sob a Teoria da Objetivação, tendo como participantes acadêmicos do curso de licenciatura em Matemática e professores dos anos iniciais do ensino fundamental de escolas ribeirinhas.

A coordenação do projeto acredita que projetos desenvolvidos em comunidades contribuem no que diz respeito aos conhecimentos regionais e na valorização dos participantes, e que estes contribuem para a democratização do ensino em geral e do ensino de Ciências Naturais e Matemática em particular. Atuam como organizadoras das atividades as professoras Adilma Portela e Keycinara de Lima.

Devido à pandemia de Covid-19, o projeto de extensão está sendo realizado de forma remota durante a maior parte do tempo. Recursos tecnológicos de comunicação e aprendizagem são utilizados para facilitar o planejamento e organização das atividades. Participam das ações professores de diferentes comunidades ribeirinhas que se dispuseram a participar da execução do projeto.

Com o objetivo de conhecer a realidade de cada profissional, bem como as expectativas acerca da relevância do projeto em sua comunidade, os professores participam de entrevistas por meio da plataforma Google Meet. No total, fazem parte das atividades uma acadêmica bolsista e 15 acadêmicos voluntários do curso de licenciatura em Matemática.

Uma das coordenadoras do projeto, a professora Adilma Portela afirma que a troca de conhecimento entre professores e acadêmicos contribui de forma ostensiva para a melhoria dos métodos de ensino e aprendizagem das disciplinas.

"Enxergamos este projeto como de grande valia, pois trabalha tanto os professores que estão nas práticas, oferecendo novos olhares, inovação nas práticas do dia a dia, quanto os futuros docentes. Para os acadêmicos do curso de Matemática, certamente abre horizontes, fazendo com que eles já pensem também nas práticas. Quando eles partem para o estágio, vão com um olhar diferenciado. Toda essa contribuição, com certeza, terá resultado na sala de aula, para aqueles alunos que residem em regiões ribeirinhas", ressaltou Portela.

ITENS ASSOCIADOS