Publicada em: 17/11/2021 09:33

Professora da UEA apresenta projeto Arbítrio em webinário de Teatro no Equador

Desenvolvido por alunos e professores do curso de Teatro da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), o projeto de extensão "Arbítrio" será destaque durante o webinário internacional "O teatro e a crise mundial do encarceramento". A professora do curso de Teatro e coordenadora do projeto, Annie Martins, estará no Equador para explanar sobre o programa nesta quarta-feira (17/11), às 10h (horário de Brasília) que ainda contará com a presença de Asheley Lucas, da Universidade de Michigan (Estados Unidos), Vicente Conciclio, do Centro de Artes (Ceart) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e Carla Marcelino, diretora de artes da pela Universidade Técnica Particular de Loja (UTPL).

O evento integra o I Encontro Intercultural Teatro e Prisão: Possibilidades na Liberdade Artística do Festival Internacional de Artes Vivas, e é promovido pela UTPL e faz parte do Festival Internacional de Artes Vivas (Fiav). O evento ocorrerá de 17 a 28 de novembro na cidade de Loja e é uma iniciativa do Ministério de Cultura e Patrimônio do Equador.

Para Annie Martins, ser convidada para o webinário é uma honra, pois Carla Marcelino pensou em uma referência fora do eixo Sul-Sudeste do Brasil e que fosse mulher para participar de uma roda de conversa dentro da categoria Saúde Mental e Lugares Desconhecidos. "É a primeira vez que um festival da América Latina abordará o tema 'Teatro e Prisão' e eu vou representar o Brasil, ao lado do Vicente Conciclio, que é meu co-orientador do Doutorado, uma referência do Brasil do teatro e prisão. E a Asheley Lucas é a maior referência mundial, recentemente ela escreveu um livro sobre os problemas do cárcere", explicou.

A professora do curso de Teatro da UEA ainda realizará uma oficina de teatro para 28 pessoas do Centro de Atenção de Infratores de Loja. "O Arbítrio tem o objetivo de realizar oficinas de teatro nas unidades prisionais do regime fechado, provisório e semi-aberto do Amazonas. A metodologia utilizada é o teatro do oprimido, que visa motivar processos de espontaneidade e libertação, como se fosse um momento de 'liberdade' para todos que participam. É um processo de ressocialização principalmente para quem está fora ao observar sobre quem está na prisão, pois é uma consequência das nossas opressões como o racismo, a homofobia, o machismo e o feminicídio", relatou.

A coordenadora do projeto explica que participar do evento ressalta ainda mais a Universidade do Estado do Amazonas. "Vou falar muito da questão do Amazonas e das nossas identidades plurais, indígenas, afro-ameríndias e, especialmente do espaço que a nossa universidade proporciona para este tipo de pesquisa, pois temos o acordo de cooperação entre Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) e UEA por conta do projeto Arbítrio", finalizou.

Projeto Arbítrio - Desenvolvido por alunos e professores do Curso de Teatro da UEA, o Projeto de Extensão "Arbítrio" surgiu em 2014. O objetivo é usar o Teatro como linguagem para motivar o processo de reintegração e ressocialização das internas dos regimes semi-aberto e aberto do sistema penitenciário.

O projeto atuou nos presídios masculinos e femininos, localizado no km 8 da BR-174. O Arbítrio é um projeto de extensão dos alunos do curso de Teatro da Escola Superior de Artes e Turismo da UEA, em parceria com a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

Festival Internacional de Artes Vivas - A 6ª edição do Festival Internacional de Artes Vivas, em formato híbrido (presencial e virtual), reunirá 350 artistas, 50 espetáculos nos diferentes palcos da cidade, 30 atividades relacionadas com arte e saúde destinadas a novos públicos como adultos mais velhos e 16 obras que serão realizadas virtualmente. Estarão nos palcos da Loja artistas de dez países da Argentina, China, Costa Rica, Espanha, Estados Unidos, França, México e outros.

Ainda irá levar o público a conhecer as artes vivas e os intérpretes que vão debater sobre identidade, saúde mental, gênero, autoconhecimento, novas dramaturgias, resiliência, feminilidade, inclusão, interculturalidade, desenvolvimento social, espiritualidade, entre outros temas que vão surpreender e convidar ao gozo da arte e também à reflexão.

Acompanhe o webinário e o Festival: @festivaldeloja @utpl.loja @artesescenicasfeutpl @FestivalDeLoja

Por Jacqueline Nascimento/Ascom UEA

ITENS ASSOCIADOS